Repositório da Produção USP

Acesso: www.repositorio.usp.br

O Repositório de Acesso Aberto da Produção da USP é a Biblioteca Digital da Produção Intelectual da Universidade de São Paulo (BDPI), inaugurada em 22 de outubro de 2012. É o Repositório institucional e oficial da Universidade de São Paulo que concentra o registro e armazena as publicações oriundas de pesquisa e a produção científica, artística, acadêmica e técnica em formato digital de seus autores, departamentos, unidades, institutos, centros, museus e órgãos centrais. 

Tem como objetivos:

  • Aumentar a visibilidade, acessibilidade e difusão de conteúdos digitais dos resultados das atividades acadêmicas e de pesquisa da universidade por meio da coleta, organização, registro e preservação de sua memória institucional;
  • Facilitar a gestão e o acesso à informação sobre a produção de pesquisa da USP, por meio da oferta de indicadores confiáveis e validados;
  • Contribuir para a preservação do conhecimento produzido na universidade, seu uso e impacto científico, acadêmico e social, integrando-se a outras iniciativas nacionais e internacionais.

  • A inserção de conteúdos no Repositório da Produção USP é realizada pela equipe da Biblioteca da Unidade à qual o autor está ligado ou por importação de dados via máquina executada pela gerência da BDPI, que efetua o registro da produção no Banco Dedalus.
  • O depósito da produção intelectual pode ser realizado de forma não exclusiva, mantendo os autores dos documentos todos os seus direitos, e respeitando a propriedade intelectual.
  • Artigos, trabalhos de evento, livros, capítulos de livro são alguns exemplos de documentos de produção intelectual que podem ser cadastrados e disponibilizados no Repositório da Produção USP (também denominado de Biblioteca da Produção Intelectual da Universidade de São Paulo).
  • O acesso aos documentos poderá ser aberto, embargado (por tempo limitado pelo contrato assinado pelo autor com a casa editorial), restrito para uso apenas pelos computadores da USP ou restrito completamente (nesse caso, o arquivo digital depositado servirá apenas para preservação da memória institucional e governança da produção).
  • Quando uma produção intelectual não estiver disponível em formato digital, os metadados deverão ser registrados na BDPI e um exemplar da produção deverá estar depositado na biblioteca na unidade.

A Política de Informação USP se encontra devidamente cadastrada no Diretório Internacional de Políticas de Informação – ROARMAP, e a própria BDPI se encontra indexada no Diretório Internacional de Repositórios Institucionais Abertos, desde 2012. Seguindo outras iniciativas da USP, a BDPI busca incentivar, valorizar, estimular e promover a visibilidade e o acesso à produção intelectual da Universidade.

Nesse sentido, além do acesso à íntegra de documentos que estão disponíveis para acesso aberto na internet, o Repositório da Produção USP indica o caminho para o material mais antigo, que ainda não foi digitalizado. Os registros remontam ao ano em que se tornou obrigatório aos pesquisadores da USP o depósito de sua produção nas bibliotecas da Universidade. Todos os registros apresentam link para o texto completo, desde que o mesmo esteja disponível e acessível na Universidade.

Aspectos Técnicos

O Repositório da Produção Intelectual da USP se encontra alinhado às atuais normas e diretrizes nacionais e internacionais de repositórios visando garantir sua interoperabilidade com diversos sistemas, o compartilhamento e reaproveitamento de atividades e conteúdos entre eles.

O Repositório da Produção Intelectual USP foi desenvolvido dentro da Universidade, pela equipe da atual Agência de Bibliotecas e Coleções Digitais (antigo Sistema Integrado de Bibliotecas da USP), e customizado de acordo com as características da USP, com forte inspiração no Vufind, ferramenta aberta de busca para bibliotecas. Feita a partir de um software livre, a BDPI é totalmente compatível com o Google: para os nomes dos campos, foi utilizado um formato de metadados estruturados que este buscador utiliza, facilitando a indexação e recuperação por quem procura o conteúdo no Google.

A plataforma reúne informações a partir dos registros cadastrados no Dedalus (Banco de Dados Bibliográficos da USP) e na Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP (BDTD), e enriquece esses registros coletando informações de outras fontes, desde o Currículo Lattes até bases internacionais como Web of Science, Scopus e Dimensions.

Sua arquitetura possibilita a entrada dos dados tanto manual como automaticamente, por meio de aplicativos especialmente desenvolvidos pela equipe interna da Agência de Bibliotecas e Coleções Digitais, que gerencia os fluxos de informação em conjunto com as Bibliotecas da USP, desde o depósito do documento, a revisão dos metadados, a limpeza dos dados, finalizando com a publicação e mapeamento entre distintas coleções e comunidades.

Foi projetado para facilitar e promover a complementação de informações da produção USP com uso de outros recursos e conexões, como por exemplo, links diretamente a conteúdos relacionados aos trabalhos publicados pela USP quando oriundos de projetos de pesquisa financiados e devidamente indexados na Biblioteca Virtual FAPESP, indicadores de Fator de Impacto advindos da ferramenta SFX utilizada no Portal de Busca Integrada, dentre outras.

A partir de outubro de 2013, com o lançamento do Repositório da Produção Científica do Cruesp, o ReP passa agora a trabalhar coordenada e cooperativamente com a Biblioteca Digital da Produção Intelectual e Científica da Unicamp e com o Repositório Institucional da Unesp. A integração entre todos eles é feita por meio do sistema de descoberta e entrega da ExLibris, Primo.

Desse modo, atualmente, está integrada com todas as demais bibliotecas digitais da USP, é alimentada diretamente pelo Portal de Revistas USP, recolhe dados do Portal Eaulas USP, se comunica com o Banco Catalográfico Dedalus e está indexada no Portal de Busca Integrada da USP compartilhando uma única interface de busca. Já está disponível a coleta internacional pelo protocolo OAI/PMH o que significa que paulatinamente está sendo indexada por metabuscadores, como por exemplo, o Google Acadêmico. Em pouco tempo, deverá estar alimentando diretamente o Anuário Estatístico da USP com os dados ali produzidos.

Contato: atendimento@aguia.usp.br

Produção Intelectual

Segundo conceito adotado na Universidade de São Paulo, o termo produção intelectual engloba tanto as produções científicas, acadêmicas, artísticas como as técnicas. Como exemplos de trabalhos produzidos nessas categorias tem-se:

  • Produção científica  texto científico que apresenta coerência, consistência, originalidade e objetividade. Podem ser artigos de revistas, trabalhos em congressos, livros, capítulos de livros e outros.
  • Produção acadêmica – produções derivadas de atividades de ensino produzidas tanto pelo corpo docente como discente; por exemplo, teses, dissertações, material de ensino e os diversos objetos educacionais de aprendizagem.
  • Produção artística – produção resultante de artes cênicas, música, artes visuais: obras artísticas, vídeos, roteiros, catálogos, curadoria, dentre outras.
  • Produção técnica – resultante das atividades técnicas desenvolvidas tanto no ensino como na pesquisa e extensão. São exemplos: softwares, produtos, processos técnicos, patentes, marcas, maquetes, projetos e relatórios de pesquisa.

Reúne versões pós-print e do editor de artigos originais, artigos de revisão, artigos de atualização, traduções, relatos de experiências, resenhas, ensaios, editoriais, cartas ao editor, debates, notas científicas e técnicas, depoimentos, entrevistas e pontos de vista.